Posicionamento do Shopping do Cidadão

Um modelo promissor

É de longa data a identificação do avanço da demanda por serviços públicos em todo o Mundo. A questão está presente nos países desenvolvidos, mas as atenções constantemente voltam-se ao chamado BRIC – composto por Brasil, Rússia, Índia, China – por serem países de economias em desenvolvimento, porém com rápido crescimento nos últimos anos. Entre os muitos paradoxos destas economias, um exemplo comum são os cidadãos que simplesmente não existem; por não possuírem ao menos uma certidão de nascimento.

Neste cenário, os Governos em geral buscam a adoção de estratégias para suprir tais necessidades. Expansão das estruturas e melhoria da qualidade de atendimento ao cidadão são seus maiores desafios. E o Brasil não é exceção, integrando o rol de países que buscam atender de modo organizado o avanço das classes emergentes; para que elas possam atingir os níveis mínimos de cidadania com acesso aos serviços públicos primordiais.

Nosso DNA será sempre desenvolver projetos de prestação de serviços com alto grau de competência, qualidade e respeito ao cidadão; podendo assim atuar em áreas semelhantes tais como gestão de hospitais públicos, aeroportos, entre outros serviços.

Por outro lado, há sempre uma grande dificuldade de investimento em todas as iniciativas de serviços ao cidadão por parte do governo de cada país; o que torna necessário o uso de mecanismos que permitam o aporte de capital em tais projetos.

Uma das alternativas mais utilizadas para este fim, inclusive em nível mundial, são as PPPs – Parcerias Público Privadas. Elas permitem ao setor privado investir em projetos de longo prazo do Governo com garantias reais de recebimento.

É com este foco de atuação que surge o Shopping do Cidadão, dedicado a suprir parte das demandas do Governo, desenvolvendo e operando Serviços de Atendimento ao Cidadão em formato de PPPs. Para isso, conta com profissionais altamente especializados em consultoria, gestão de centrais de atendimento, gestão pública, direito público, economia e finanças.